10º SIMPÓSIO DE SÍNDROME METABÓLICA DO HOSPITAL DAS CLÍNICAS DA FACULDADE DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

Veja no instagram @lorainetarga

Veja no instagram @lorainetarga

Dia 28 de Fevereiro estive presente no Simpósio de Síndrome Metabólica do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. O evento foi organizado pelos conceituados médicos Dr. Alfredo Halpern e Dr. Marcio Mancini. A Síndrome Metabólica, também conhecida como Síndrome X é considerada uma doença da civilização moderna, resultante da alimentação inadequada, sedentarismo e obesidade.
A Síndrome Metabólica se caracteriza por um conjunto de fatores de risco como hipertensão, glicose elevada, excesso de gordura abdominal, alteração de colesterol, entre outros, que sozinhos não seriam tão problemáticos, mas quando ocorrem juntos, aumentam o risco para desenvolvimento de doenças cardiovasculares, AVC (derrame) e diabetes. Quanto maior o número de sintomas, maior o risco.
Se você tem Síndrome Metabólica, mudanças bruscas no estilo de vida podem prevenir o desenvolvimento de sérios problemas de saúde e em alguns casos, é possível reverter este quadro.
É importante estar atento e sempre fazer exames de rotina, pois a maioria dos sintomas associados à Síndrome Metabólica são “silenciosos”, embora a circunferência abdominal seja um sinal visível. Se sua glicose estiver muito alta, você poderá apresentar sinais e sintomas de diabetes, que incluem aumento da sede, aumento da frequência urinária, fadiga e visão turva.
Se você apresenta dos sintomas que estão associados à Síndrome Metabólica, converse com seu médico e procure uma nutricionista funcional.

QUAIS AS CAUSAS DA SÍNDROME METABÓLICA

A Síndrome Metabólica é primariamente causada por sedentarismo e obesidade. Está ligada a uma condição chamada “resistência à insulina. Normalmente o trato gastro intestinal quebra os alimentos que consumimos e os transforma em açúcar (glicose). Insulina é um hormônio produzido pelo pâncreas,que age como um sistema de chave-fechadura, é como se a insulina fosse uma chave, que abre as células e permite que o açúcar entre em nossas células para ser utilizado como combustível.
Em pessoas com resistência à insulina, o corpo não responde bem à este sistema. É como se a chave fosse colocada na fechadura, mas estivesse torta ou quebrada, ou seja, não abre a célula com facilidade. Assim, a glicose não consegue entrar nas células, e os níveis de glicose no sangue ficam super altos, então o corpo quer controlar isso, e acaba liberando ainda mais insulina.
Eventualmente, esta situação, se não controlada, pode levar ao diabetes, que ocorre quando o pâncreas não consegue produzir mais insulina suficiente para manter os níveis de glicose sob controle.

FATORES DE RISCO

Idade: O risco de Síndrome Metabólica aumenta com a idade, afetando 40% dos indivíduos acima dos 60 anos.
Obesidade: O excesso de peso aumenta o risco para o desenvolvimento da doença, o risco é maior para indivíduos com o formato de maçã, quando comparados com o formato de pêra.
macaepera

Diabetes: Pode haver predisposição para Síndrome Metabólica se você teve diabetes durante a gestação (Diabetes Gestacional) ou se há histórico familiar de Diabetes tipo 2.

Outras doenças: O risco para Síndrome Metabólica é maior se você possui ou se já teve problemas cardiovasculares, gordura no fígado (Esteatose Hepática) não alcoólica, ou Síndrome do Ovário Policístico.

COMPLICAÇÕES

Ter Síndrome Metabólica pode aumentar o risco no desenvolver estas doenças:

Diabetes: Se você não fizer mudanças no seu estilo de vida para controlar a resistência à insulina, seus níveis de glicose irão continuar aumentando. Pode haver o desenvolvimento do diabetes como resultado de uma Síndrome Metabólica não tratada.

Doenças Cardiovasculares: Colesterol alto e pressão alta podem contribuir com o acúmulo de placas nas suas artérias. Estas placas podem causar a redução do calibre e enrijecimento das artérias, que pode levar à um ataque cardíaco ou derrame (Acidente Vascular Cerebral).

PREPARE-SE PARA A CONSULTA COM MÉDICO E NUTRICIONISTA

Os profissionais mais indicados para diagnosticar e medicar a Síndrome Metabólica, em geral são o Endocrinologista e o Cardiologista, e para tratar, o Nutricionista.

Esteja preparado para as consultas:

Faça uma lista: Anote todos os seus sintomas, além de listar todos os medicamentos e suplementos que está utilizando regularmente.
Anote seu histórico familiar: Em particular aqueles que tem ou tiveram diabetes, infartos ou derrames.
Caso tenha exames de sangue recentes, leve-os com você!

EXAMES E DIAGNÓSTICO
O diagnóstico deve ser realizado por um médico, mas fique atento, caso você tenha três ou mais sintomas, pode ser que você tenha Síndrome Metabólica:

Aumento da circunferência abdominal: Medida maior ou igual a 89cm para mulheres e 102cm para homens.
Triglicérides elevado: Resultado sérico igual ou maior que 150mg/DL, ou caso você já esteja com triglicérides elevado, e em tratamento medicamentoso
Hipertensão: Pressão arterial superior a 130/85mmHg, ou em uso de medicamentos para hipertensão.
Glicose de jejum elevada: Resultados acima de 100mg/dL (5.6mmol/L) ou em uso de medicamentos para controlar a glicose.

TRATAMENTOS E MEDICAMENTOS

Caso mudanças significativas no estilo de vida não for suficientes, o médico poderá sugerir medicamentos para ajudar a controlar a pressão, os níveis de colesterol e a glicose.

COMO PREVENIR E TRATAR

Mudanças significativas no estilo de vida são primordiais:

Exercite-se. Médicos geralmente recomendam 30 minutos ou mais de exercícios de intensidade moderada, como caminhada, todos os dias.

Reduza o peso. Eliminar peso pode reduzir a resistência à insulina, reduzir a pressão arterial e reduzir o risco de diabetes.

Pare de fumar. Cigarros agravam as condições de saúde da Síndrome Metabólica. Converse com seu médico para que ele possa te ajudar a eliminar este hábito.

Alimente-se bem. Uma alimentação equilibrada, rica em frutas, verduras, legumes, gorduras “boas” e carnes magras é o ideal para uma vida saudável. Na Nutrição Funcional, é possível identificar todas as questões relacionadas à alimentação, desde digestão, até carências nutricionais, e elaborar um cardápio totalmente personalizado, de acordo com suas necessidades. Os benefícios de um cardápio individualizado são inúmeros, e trazem uma série de benefícios para sua saúde, como redução de peso, melhora da pressão arterial, melhora na função do pâncreas, que resulta em um equilíbrio, para tratar a Síndrome Metabólica, ou até eliminá-la! Estes são apenas alguns dos vários benefícios da Nutrição Funcional.

Caso precise de ajuda, agende uma consulta. Meu consultório fica em Taubaté (12)3632-4895.