DÊ BASTA NA COMPULSÃO ANTES QUE ELA COMECE: SAL NA INFÂNCIA

Compulsão alimentar, desejos e comportamentos sobre o ato de comer. Em meu consultório sou bastante questionada sobre estes temas, e a ciência nos apresenta novas respostas que quero compartilhar com vocês.

Observe nossa compulsão por sal, ela começa cedo. Alguns dos primeiros alimentos que comemos quando bebês, como por exemplo bolachas, pães e cereais, contém altas quantidades de sódio.

Em maio deste ano, a revista americana Time publicou uma pesquisa sobre a exposição precoce ao sal e uma afinidade com ele na vida adulta, esta mesma pesquisa também foi publicada na American Journal of Clinical Nutrition.

Ao buscar mais informações sobre o assunto, encontrei um artigo semelhante no jornal americano Los Angeles Times, onde um dos pesquisadores falou sobre uma “janela de sensibilidade” na infância, quando certos sabores e gostos parecem ser impressos nos cérebros dos bebês. E o pior, neste mesmo artigo, o pesquisador afirma que os bebês desenvolvem o paladar através do leite materno de sua mãe! (Ou seja, isto significa que  o paladar por doces também pode ser desenvolvido!!!)

Precisamos de sal, mas muitos consomem o dobro (ou até mais que o dobro) da quantidade recomendada. O sal está em toda parte, principalmente em alimentos processados e industrializados e ricos em amido. Há ainda quem adicione tanto sal na comida, que sequer sente seu real sabor. Mas se os maus hábitos podem ser iniciados ainda muito cedo, quando bebês, os bons hábitos também podem! Você não gostaria de nunca ter experimentado alguns alimentos que você ama que você sabe que são ruins pra você?

Há milhões de formas de adicionar sabor aos alimentos além do sal. Ervas, pimentas, vinagre, limão… Procure melhorar seu conhecimento sobre alimentação saudável, compre livros voltados para este tema e procure um nutricionista. Faça experimentos! Ou pelo menos comece reduzindo gradualmente o sal.

Podemos superar a forma como fomos programados? Claro que sim! E a educação é o primeiro passo!

Devemos lembrar que a OMS (Organização Mundial da Saúde) recomenda 5 gramas, ou 1 colher de chá por dia de sal, já contando o sódio embutido nos alimentos processados e industrializados. O excesso de sal induz principalmente o aumento da pressão arterial, que é o principal responsável pelo derrame cerebral, infarto, doenças coronarianas e renais.

E agora que já sabem dos riscos, tenham cuidado com a alimentação de seus bebês!