Chia: Sementinha poderosa!

Sementes de chia vem de uma planta conhecida como Salvia hispânica,  originária do México. Há muito tempo atrás, cerca de 3.500 anos antes de Cristo, as sementes de chia eram um alimento básico, assim como arroz e milho, nas dietas doas astecas e dos maias. A semente era utilizada triturada em forma de farinha, prensada para retirada do seu óleo e até mesmo bebida misturada à agua. Neste período, o consumo da semente de chia representava grande valor, pois além de aumentar a energia e a resistência dos guerreiros, ela podia ser armazenada por muitos anos, e se mantinha intacta após ser transportada por longas viagens. Não é à toa que palavra chia significa “força” na língua maia.

Os astecas utilizavam a chia como oferenda a deuses em suas cerimônias religiosas, além de utilizá-la para pagar tributos e impostos para o sacerdócio asteca e para a nobreza.

A chia perdeu forças após o descobrimento da América, com a repressão dos nativos, de suas tradições e de seu sistema de comercialização. A pequena semente foi banida, e, por sorte, sobreviveu na região sul do México.

Atualmente, com a carência de nutrientes na dieta padrão, cientistas e nutricionistas tem olhado para a história e buscado soluções naturais para resolver estes déficits. Foi por este motivo que a chia está sendo estudada e sendo reconhecida no mundo todo.

As sementes de chia são consideradas “ poderosas” porque contém mais ômega 3 que o salmão, mais antioxidantes que o mirtilo, mais cálcio que o leite, 2 vezes mais potássio que a banana e mais proteína que a semente de linhaça.

Em relação às fibras, a chia surpreende: 2 colheres de sopa fornecem cerca de 43% da necessidade diária. As fibras retardam o esvaziamento gástrico, liberando energia aos poucos no nosso organismo, com isso, nos mantemos satisfeitos por mais tempo.

Uma semente antiga, para consumidores modernos e conscientes de sua saúde!

Café da Manhã: Esta é a refeição mais importante do dia?

Todos nós já ouvimos nossos pais e avós nos dizerem que o café da manhã (também conhecido como desjejum) é a refeição mais importante do dia, mas será que eles realmente sabem o por quê? Existe muita ciência por trás desta teoria e gostaria de compartilhar isso com vocês. Comida é combustível e energia para nossos corpos e sem ela nós provavelmente passaríamos o dia fracos, lutando contra uma dor de cabeça ou de mau humor.

Comer o café da manhã quebra o jejum que os nossos corpos estão desde a noite anterior, e aumenta nossa taxa metabólica (o quão rápido podemos queimar calorias).Se pularmos o café da manhã, nosso organismo não processa a nossa próxima refeição tão rapidamente e tenta acumular essa refeição, em vez de queimá-la imediatamente. Estudos têm demonstrado que a perda de peso tende a ser mais difícil,  e o ganho de peso mais prevalente, nas pessoas que decidem não comer o café da manhã.

As pessoas que pulam o café da manhã estão mais propensas a comer mais alimentos do que o habitual na próxima vez em que se alimentarem. Além disso, estudos demonstram que há uma preferência por alimentos altamente calóricos ao longo do dia para controlar a fome daqueles que ignoraram o café da manhã.

Podemos então concluir que, sim, nossos pais e avós tinham razão! O café da manhã é a refeição mais importante do dia!

Porque dietas não funcionam


Einstein disse uma vez que a definição de insanidade é “fazer a mesma coisa várias e várias vezes e esperar resultados diferentes”. Isto é bem verdade, especialmente quando se trata de dieta.

 Por que tantos de nós vivendo como se fôssemos loucos? Podemos chamar isso de natureza humana ou o medo de mudanças. Ou talvez sejamos tão distraídos que nem sequer percebemos o que estamos fazendo. Nós fazemos dietas várias e várias vezes pensando “dessa vez vai dar certo”. Achamos que todos os nossos problemas irão se acabar, porque vamos ser magros e vamos nos sentir ótimos. Nós perdemos o peso, mas logo ele começa a voltar e se instalar novamente. Então o que fazemos? É isso mesmo: Nós começamos outra dieta, talvez uma dieta diferente, porque “dessa vez vai dar certo” e todos os nossos problemas irão se acabar, e seremos magros e vamos nos sentir ótimos. Soa familiar?

 Vamos falar sobre a realidade e acabar com essa loucura. Primeiro, olhe para os seus hábitos alimentares como um estilo de vida. Comece a prestar atenção ao que você colocou em sua boca. Comece a fazer um diário anotando tudo o que você comer, quando e como você está se sentindo no momento que você come. Muitas pessoas comem emocionalmente, e muitas vezes este ato é inconsciente. Podemos comer dessa forma porque estamos estressados, tristes, deprimidos… Seja qual for a emoção, o ponto que devemos observar, é que é muito fácil comer irracionalmente.

Tenha conhecimento do seu estado de saúde global. Anime-se procure um médico e um nutricionista para realizar exames físicos e exames de sangue. Descubra os fatos sobre sua saúde. Chega de brincar de ignorante. A verdade é que é muito mais fácil prevenir a doença do que tratá-la, quando ela já se instalou. Você tem a escolha de ser saudável, e ficar no controle de sua saúde fica cada vez mais importante à medida que você envelhece.

Comer uma dieta equilibrada, cheia de alimentos ricos em fibras como frutas e vegetais, proteínas magras, como peixe, frango e lentilhas, e alimentos ricos em ômega-3, como sementes de linhaça, nozes e salmão. Carboidratos complexos, como grãos integrais e vegetais ricos em amido (batata e inhame) também são importantes porque os carboidratos são transformados em glicose no nosso corpo. Esses carboidratos complexos são considerados alimentos de baixo índice glicêmico, porque, ao contrário de outros carboidratos, eles não causam picos de açúcar no sangue. Alimentos de baixo índice glicêmico também ajudam a combater a inflamação no corpo, que se torna mais comum à medida que envelhecemos.

À medida que envelhecemos, nosso metabolismo começa a desacelerar e devemos mantê-lo funcionando de forma eficiente. Comer cinco a seis pequenas refeições ao longo do dia é uma ótima maneira de manter seu metabolismo funcionando em um ótimo ritmo. O mundo evolui, mas nossos corpos não, nós temos o mesmo organismo há milhares de anos, nossos corpos são os mesmos do tempo das cavernas. Então quando não comemos, sentimos fome. Isto é um alerta. Nosso corpo começa a pensar que não há mais comida disponível, e que estamos sob ameaça de morte por fome, então ele passa a acumular a gordura como um meio de sobrevivência. Mas fazendo refeições pequenas e regulares, seu metabolismo estará funcionando de maneira adequada,  e um metabolismo saudável pode, por sua vez, ajudá-lo a eliminar os quilos indesejados.

Quando você muda sua percepção sobre o alimento, através de uma reeducação alimentar, passa a comer com consciência. Você vai perceber que um estilo de vida saudável é uma escolha. E não tem que ser tão rígido. Além disso, comer pequenas refeições ao longo do dia vai ajudar a reduzir aquela fome extrema, que muitas vezes enfrentamos ao fazer dieta. Quando você começar a se alimentar de forma saudável e movimentar mais seu corpo, o peso extra vai embora. Não será uma solução rápida, mas com o tempo você verá que o peso vai indo embora, porque você mudou seu estilo de vida. É realmente muito simples.